parteiras no canada

Parteiras no Canadá – Por que escolhi uma?

Hoje no blog compartilho com vocês quem são as parteiras no Canadá, ou midwives, em inglês. E quais foram os motivos que me levaram a escolher uma para a minha segunda gravidez.

Quem são essas profissionais?

As parteiras são profissionais registradas que fazem um curso de quatro anos e recebem o diploma em Bachelor of Midwifery. Para poderem atuar na província da Colúmbia Britânica, elas precisam passar em um exame chamado Canadian Midwifery Registration Examination (CMRE) e se tornarem midwife, uma profissão autônoma regulamentada pelo College of Midwives of BC.

Em 1998, o serviço das midwives foi integrado ao Sistema Médico da Província da Colúmbia Britânica. Desde então, as grávidas podem optar por um médico ou uma parteira registrada se a gravidez não for de risco, sem a necessidade de encaminhamento ou custo adicional.

As parteiras podem solicitar qualquer exame e teste de diagnóstico – incluindo exames de sangue e ultrassom e prescrever medicamentos. Elas trabalham com outros profissionais, incluindo o médico de família, para questões não relacionadas à gravidez e com especialistas, como obstetras e pediatras, se a paciente desenvolver complicações.

Atualmente, a Colúmbia Britânica tem o maior número de partos assistidos por parteiras em todo o Canadá. A região de Cowichan Valley, na Ilha de Vancouver, é a líder, com 60% dos partos atendidos por parteiras. 

Por que escolhi uma parteira?

Quando engravidei pela primeira vez, eu não tinha muita noção sobre o trabalho das parteiras no Canadá. Pensava que o parto seria algo mais natural, em casa e sem anestesia. Hoje vejo que não sabia nada sobre essa profissão. Só fui aprender depois que meu filho nasceu e conheci diversas mães que tiveram seus bebês com parteiras.

Eu amei o atendimento que tive com a maternity doctor na minha primeira gravidez. Porém, eu já não moro na mesma região e iria levar cerca de 50 minutos da minha casa até o consultório. Esse foi o primeiro motivo que me fez buscar outras opções para o meu pré-natal.

Referências de amigas e vizinhas

Minha vizinha teve bebê recentemente, antes de eu descobrir que estava grávida. Tanto a última gravidez dela quanto a primeira foram acompanhadas por parteiras. Ela falou muito bem da clínica de midwives que fica perto das nossas casas. Comecei a pesquisar e só li elogios sobre as profissionais que atendem na clínica.

Conversei também com brasileiras que moram aqui e tiveram bebês com midwives e ouvi bons comentários sobre as experiências delas.

Pandemia

As médicas de maternidade também são médicas de família, então elas atendem outros pacientes, não somente grávidas. Lembro de estar na recepção esperando para ser atendida e chegar pessoas tossindo e espirrando.

Na consulta de uma semana do meu filho, tinha um paciente na recepção que tossia sem parar. E nós ali no mesmo ambiente pequeno e fechado com um recém-nascido. Lógico que agora com a pandemia, isso não deve estar acontecendo, já que se o paciente tem sintomas de Covid não pode ir à clínica. Porém, nem todos têm bom senso e não dá para garantir que uma pessoa doente não irá aparecer na clínica.

A ideia de ser atendida em um local que vão somente gestantes me deixou mais confortável, já que as midwives só tem contato com grávidas e não com diferentes pacientes. Posso estar enganada, mas sinto que isso diminui a minha exposição ao vírus.

Parto

Não passei por essa etapa com a midwife ainda e não posso dar a minha opinião, porém, gostei de dois pontos:

  • Ter a mesma profissional comigo do início do trabalho de parto até o bebê nascer. Isso se o trabalho de parto não demorar horas. Se for um parto longo, uma segunda midwife, que vou conhecer durante o pré-natal, vai ajudar.
  • Ser atendida durante a gravidez somente por parteiras que vão fazer o parto. Depende de quem estará de plantão no dia.

Isso não aconteceu quando eu tive o meu primeiro filho, já que a equipe da qual a minha médica faz parte é formada por onze profissionais. Assim, eu não conheci todas elas. No meu caso, as minhas médicas eram a Dra. Kendra e Dra. Donna. Elas fizeram o meu pré-natal, mas no dia do parto, não estavam de plantão.

Cheguei à noite ao hospital e fui atendida por uma médica do grupo, mas às 7h trocou o turno, mudando a médica e as enfermeiras. Todo o processo de criar uma relação de confiança com elas teve que recomeçar com as novas profissionais pela manhã.

Leia também: Como foi a minha experiência com parto normal no Canadá.

A segunda médica falou comigo algumas vezes rapidamente, mas só entrou em cena mesmo para fazer o parto. Senti falta de ter intimidade com ela. Uma enfermeira que ficou comigo a partir das 7 da manhã, mas só a conheci ali naquele momento. Apesar de terem a minha ficha, elas não me conheciam, não sabiam do meu histórico e desejos.

Não posso reclamar, elas foram ótimas e amorosas. A médica tinha muita experiência e foi excelente durante o parto, que não foi tão simples, já que o meu filho estava com a cabeça na posição contrária. Porém, com as midwives, o grupo é menor, são somente três profissionais que vão me acompanhar durante a gravidez e pós parto.

Se houver complicações quem fará o parto é o obstetra de plantão do hospital, mas ainda assim a midwife acompanha todo o trabalho de parto.

Espero que tenham gostado do post sobre parteiras no Canadá. No próximo, vou contar como está sendo o meu pré-natal com elas.

3 thoughts on “Parteiras no Canadá – Por que escolhi uma?

  1. Oi Pri! Lá na minha clînica de midwives em VIctoria downtown, estou sendo acompanhada por 4 delas. No dia do parto vai ser uma delas. São todas maravilhosas mas sempre tem uma que vc se identifica mais hehhehe. Torcendo pra q seja minha preferida no dia!

    1. Oi Magda, que legal! Eu estou sendo por 3, como você eu gosto de todas. Mas tem duas que me identifico mais. Tomara que no dia do seu parto seja a sua preferida. <3 Muita saúde para você e o bebê.

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.