plano canadá

Meu plano Canadá e como Victoria entrou na minha vida!

Como foi o seu plano Canadá? Como o Canadá entrou na sua vida? Por que você decidiu morar em Victoria e não em outra cidade? Perguntas como essas têm se tornado frequentes no blog e nas minhas redes sociais.

Acredito que o momento político e econômico que o Brasil vem enfrentando somado a pandemia fizeram com que muitos brasileiros começassem a estudar a possibilidade de imigrar para o Canadá.

Confesso que me incomoda quando vejo pessoas na internet vendendo a ideia “Plano Canadá” como se fosse uma receita de bolo. Muitos não têm a capacitação profissional necessária para orientar quem quer imigrar e não levam em consideração diversos fatores que podem influenciar a mudança de um país para outro.

Esse é um dos motivos pelos quais evito falar sobre como foi o meu processo de imigração para o Canadá. Não quero criar falsas expectativas nas pessoas. Porém, resolvi escrever este post já que costumo responder às mesmas perguntas toda a semana. 

Sempre lembrando que essa é a minha história e desde que vim para cá pela primeira vez, em 2011, muita coisa já mudou. Por isso, nem vou entrar no assunto PR (Permanent Resident), vistos etc. Eu não sou consultora de imigração ou educacional, e não tenho conhecimento suficiente para ajudar vocês com o “Plano Canadá”, mas posso compartilhar como o país e a cidade de Victoria entraram na minha vida. 

Além do mais, no Canadá é crime prestar consultoria sem ser um profissional registrado pelo Governo Canadense.

Se precisar da orientação de um profissional, você pode entrar em contato com a Consultora Educacional Ana Paula (planocanada@deboanomundo.com), da @deboanomundointercambio, que tem escritório no Canadá.

Como foi o seu plano Canadá?

Eu nunca planejei me mudar para o Canadá. Nunca pensei em largar tudo e imigrar para outro país. Queria passar um tempo fora aprimorando o meu inglês. Quando comecei a pesquisar sobre os países e os valores dos cursos, vi que o Canadá era uma boa opção, pois o Dólar Canadense tinha uma cotação melhor que o Dólar Americano e o Euro em relação ao Real.

Além do mais, tinha ouvido de conhecidos que estudaram inglês aqui que os canadenses eram receptivos com estudantes internacionais. A natureza e o fato de ser um país relativamente seguro foram fatores que também levei em consideração.

Então, em 2011, fiz um programa chamado de Canadian Internship Program, onde o aluno estudava inglês por 6 meses e, ao alcançar o nível desejado, fazia um outro curso sobre mercado de trabalho canadense, que incluía aprender a escrever currículo e cover letter nos padrões canadenses, entrevistas de trabalho etc. Depois disso, o estudante recebia um visto de trabalho de 6 meses para trabalhar no atendimento ao cliente e praticar inglês. Foi assim que consegui um emprego no famoso The Butchart Gardens.

Fiz o curso na Universidade de Victoria (Uvic) e acabei descobrindo um outro curso chamado Diploma em Business Administration, que é um dos cursos mais baratos do Canadá entre os que dão direito ao Post Graduation Work Permit – PGWP (visto de trabalho de até 3 anos após finalizar os estudos) e que permitem trabalhar 20h por semana durante o curso. Leia mais sobre ele no post: Curso de Business no Canadá – valores e descrições!

Muitos estudantes internacionais que fizeram comigo o curso Canadian Internship Program já planejavam ficar no Canadá para fazer o Diploma em Business e tentar imigrar. Foi aí que comecei a pesquisar sobre essa opção de curso.

Afinal, se eu decidisse ficar no Canadá seria um caminho interessante para recomeçar aqui. Mas se eu resolvesse retornar ao Brasil, também iria ter uma bagagem internacional valiosa para voltar ao mercado de trabalho brasileiro.

Por que você decidiu morar em Victoria?

Na verdade, quem achou Victoria foi a minha irmã. Em 2011, nós viemos juntas para o Canadá. Ela estudou inglês durante as férias dela e eu fiquei mais tempo para fazer o Canadian Internship Program.

Como o curso se estenderia até depois do outono e eu não queria morar em um lugar com inverno rigoroso, começamos pesquisar quais eram as cidades com clima mais ameno. Durante a pesquisa, minha irmã encontrou Victoria e os cursos de inglês do English Language Centre da Uvic. 

Em seguida, eu descobri que Victoria, por estar em Vancouver Island, não tinha tão fácil acesso como Vancouver, mas gostei por ser uma cidade menor e universitária. Estava cansada de lidar com o trânsito e todos os outros problemas que uma cidade grande tem e descartei Vancouver. 

Eu tinha pedido demissão da empresa em que trabalhava e gostava, não só para ir estudar fora e focar no aperfeiçoamento do meu inglês, mas para “dar um tempo” da vida estressante de uma cidade grande que estava acabando comigo. Queria levar uma vida mais simples, sem stress e em um lugar sem violência.

plano Canadá
Minha primeira vez em Victoria em 2011.
Meu retorno ao Canadá

Quando vim estudar inglês pela primeira vez, acabei ficando mais tempo que o planejado. Recebi um visto de trabalho de mais de 6 meses, até hoje não sei o motivo, o que me permitiu morar em Victoria por quase um ano e meio. Voltei para o Brasil com a intenção de guardar dinheiro e retornar ao Canadá para fazer o curso de Diploma em Business Administration.

Retornei no começo de 2015 para fazer o curso na Universidade de Victoria. Em 2016, consegui meu primeiro trabalho como vendedora em uma loja de varejo americana. E em poucos meses fui promovida a um cargo gerencial. Falando assim parece que foi fácil, mas não foi.

Acordei muitas vezes às 5 da manhã quando as temperaturas estavam negativas porque precisa estar na loja às 6h. Lidei com clientes arrogantes, me senti frustrada na universidade e no trabalho quando eu não conseguia expressar o que eu realmente estava querendo dizer em determinadas situações, morei com o meu namorado – e hoje marido –  em um basement escuro, passei noites estudando e fazendo trabalhos para o curso.

Tínhamos que planejar bem os nossos gastos, já que na época em que estudava na Uvic, meu marido também era estudante e trabalhava apenas meio período.

Nós dois tínhamos os gastos com a universidade e não tínhamos trabalhos que pagavam muito, já que só trabalhávamos algumas horas por semana.

Praticamente todos os imigrantes com quem conversei passaram por tudo isso ou mais, mas cada um deles viveu situações pessoais singulares que muitas vezes os obrigaram a retornar ao país de origem. Por isso, planejar bem e buscar informações com profissionais sérios e fontes confiáveis é muito importante. 

Dividi esse post em dois porque ficou muito grande. No próximo, vou contar os motivos que me levaram a querer continuar morando em Victoria e como me encantei pelo Canadá.

4 thoughts on “Meu plano Canadá e como Victoria entrou na minha vida!

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.